quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Dr. Wilson Vieira Dantas


“É humanamente impossível a gente escrever sobre certas e determinadas criaturas que por muitos anos conviveram conosco participando ativamente do nosso dia-a-dia de alegria e sofrimentos, tornando-se, com isso e por isso, queridos amigos, credores de nossa amizade, respeito e apreço.” Diz Ubaldo Ferreira Costa em uma nota de jornal.

Wilson Vieira Dantas, nascido em Aracajú (Sergipe), onde residiu até parte de sua infância, ainda criança veio para Bahia e estudou no Colégio Central de Salvador e realizou o curso de medicina na Faculdade de Medicina da Bahia. Após sua formatura veio para o interior da Bahia, para cidade de Maiquinique, onde foi o primeiro médico a realizar atendimento naquela localidade. Sempre respeitando os princípios éticos e o próximo, atuando de maneira íntegra e irrepreensível. A humildade fazia parte da sua conduta como pessoa e profissional.

Mudou-se para Macarani em 1943, onde residiu até 1975, querido, amado e procurado indistintamente. Era considerado pai da pobreza. Solícito, humilde, ágil e competente médico a serviço de todos que o procuravam angustiados pela doença. Nesta comunidade, exerceu vários cargos: delegado escolar, chefe do Executivo Municipal, ainda lhe sobrando tempo, para atender as suas fazendas, onde mantinha a criação de gado Indo-brasil.

Além disso, em paralelo ao seu sacerdócio a serviço dos que sofriam, era ele um católico fervoroso, destemido, autentico, participante. Fazia leituras, cantava, enfim era um cristão nato e que lhe faz aproximar-se de dom Climério de Andrade, bispo diocesano, na época, de Vitoria da Conquista. Exerceu o cargo de presidente do Conselho Paroquial de Macarani. Foi também diretor do Colégio Normal São Pedro, indicado pelo presidente do setor da Campanha Nacional de Educandários Gratuitos. Possuía, ainda, o carisma de cativar as pessoas e fazer amigos; seu traço dominante era a modéstia no relacionamento com todos.

Por não existir naquela época hospital ou mesmo casa de saúde em Macarani, doutor Wilson praticava a velha medicina domiciliar. Era médico clinico, obstetra, pediatra e até mesmo enfermeiro. Em termos políticos eram, evidentemente, em parceria com outros dois baluartes de Macarani, Clério Correia e Osvaldo Coelho, a pedra angular na construção do edifício do progresso e da paz em todo o município. Nele toda a comunidade confiava. Exerceu a medicina com fidelidade respeitando os princípios da sua profissão. Veio a óbito em 1985 devido a embolia pulmonar. E hoje com muito sentimento todos se lembram deste grande médico que tanto serviu a nossa comunidade com sua humildade e dedicação.

Relato baseado em escrito realizado por  Ubaldo Ferreira Costa

Nenhum comentário: